Veja a relação da cannabis no tratamento da Covid-19

Enquanto ainda não existe um remédio que consiga acabar de vez com a Covid-19, pesquisadores do mundo todo têm estudado alternativas para auxiliar no tratamento dos doentes. Em um estudo feito pelos pesquisadores da Augusta University, na Geórgia (EUA),evidências mostraram que o uso do CBD é capaz de bloquear a infecção em seus estágios iniciais, e que seu uso está associado a um risco menor de infecção.

Os estudos também observaram que o CBD não é o único canabinóide que se mostra promissor como medicamento anti-inflamatório. O THC também mostrou poderosos resultados anti-inflamatórios, mas é menos tolerado que o CBD, pois causa sintomas de desorientação, ansiedade e aumento da frequência cardíaca. Pesquisas sobre CBD, por outro lado, mostram que é seguro e bem tolerado com doses de até 1500 mg por dia, por um período de até duas semanas

Além do tratamento de inflamações, os estudos apontam que as dores no corpo, garganta inflamada e dores de cabeça, poderiam também ser aliviadas com cannabis. É importante ressaltar ainda que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, são 322 milhões de pessoas convivendo com a depressão e 264 milhões com a ansiedade, sendo o nosso país com o maior número de casos de ansiedade no mundo. 

Estudos realizados pela Universidade do Estado Rio de Janeiro (UERJ) evidenciaram que o isolamento social provocado pela pandemia de COVID-19 dobrou o número de casos de depressão, enquanto os quadros de ansiedade e estresse aumentaram em 80%. Paralelamente, a procura por atendimento psicológico através das plataformas digitais também disparou, assim como o uso de cannabis terapêutica.


Vamos começar
O tratamento?

Agendar consulta

Quer receber as novidade sobre a UIDi?
Cadastre-se

    Tire suas dúvidas
    (11) 5197-4020