Saiba como a cannabis pode ajudar pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo

Existe uma grande confusão e ainda muitas pessoas pensam que o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma enfermidade. Isso acontece porque as pessoas relacionam o fato do transtorno ser desde o nascimento da criança até o fim da vida. 

O  Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição relacionada ao desenvolvimento do cérebro que modifica a forma como indivíduos que estão no espectro veem e compreendem o mundo, e até a forma como se relacionam com as outras pessoas. 

Assim, podemos dizer que pessoas com autismo têm dificuldades de interação social e comunicação. Existe ainda uma diferença dentro do próprio espectro. Ou seja, enquanto alguns conseguem realizar a maioria das atividades de vida diária sem apoio, outros precisam de ajuda até em tarefas consideradas simples. 

O  Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) não possui causas totalmente conhecidas, porém há evidências de que haja predisposição genética para ele. Outros reportam o suposto papel de infecções durante a gravidez e mesmo fatores ambientais, como poluição, no desenvolvimento do distúrbio.

Incidência maior em meninos

Existem aproximadamente dois milhões de pessoas com Transtorno do Espectro Autista no Brasil e a incidência maior é em meninos, sendo 1 menina para 4 meninos dentro do espectro. Veja alguns sinais do TEA em crianças:

  • Bebê não antecipa o movimento de ir ao colo dos adultos;
  • Ausência de sorriso social;
  • Não reconhece a voz da mãe;
  • Não mantém contato visual;
  • Chora muito sem motivo aparente;
  • Pouca expressão facial.

Estes sinais podem ou não identificar o transtorno, não é regra, cada caso é um caso. Lembre-se que o diagnóstico é dado por neurologista, pediatra ou psiquiatra.

Sabia que a cannabis pode ajudar no Transtorno do Espectro Autista?

Médicos e pesquisadores estão empenhados trabalhando para que as pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) tenham uma melhor qualidade de vida e os tratamentos à base de cannabis têm se tornado um forte aliado. Em testes clínicos promovido por pesquisadores da Universidade de Brasília e publicados na revista Frontiers in Neuroscience fica comprovado que o canabidiol, presente na cannabis, auxilia o corpo a desenvolver suas funções, além de auxiliar a amenizar os sintomas que afetam o sistema nervoso como a ansiedade, irritabilidade, insônia e dores crônicas.
Durante nove meses foram acompanhados pacientes ligados à Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (Ama+me), com idades entre 6 e 17 anos, em tratamento com um extrato com alta concentração de canabidiol, 75 vezes maior que a de THC. Dos 18 participantes, três sofriam com crises epilépticas.


Vamos começar
O tratamento?

Agendar consulta

Quer receber as novidade sobre a UIDi?
Cadastre-se

    Tire suas dúvidas
    (11) 5197-4020